Garotas Modernas Garotas Modernas

Meus perfumes favoritos de 2019

Adoro perfumes e o meu preferido há quase 2 anos é o Mon Paris, da YSL Beauty - descobri numa viagem pra NY e uso praticamente todos os dias - já estou no terceiro vidro dele. Ele é um floral frutal delicioso, nada enjoativo e muito chique: tem peônia, flor Datura, musk branco, patchouli, morango, framboesa, bergamota e pera.

Gosto muito de usar um perfume mais levinho depois do banho da noite e ultimamente tenho gostado do body mist Miss Dior e do perfume pra cabelos J’adore da @diorparfums - além destes dois que tem menos fixação (o pra cabelos tem fórmula especial que não resseca os fios), também tenho o Miss Dior Chèrie e o Blooming Bouquet da Dior - adoro todos! O J’adore já tive uns 3 frascos e não me canso. Acho um dos perfumes mais deliciosos que já provei. 

Entre os que tenho e não uso muito estão os da @chanel.beauty: Coco Mademoiselle e o Chance - confesso que não amo (para durarem bastante sem perderem as características olfativas guardo sempre nas caixas originais dentro de um armário seco e ventilado). Outro que tenho mas não amo é o 212 VIP Club @carolinaherrera - ganhei de presente, acho gostosinho, mas não ótimo.
Já o Daisy do @marcjacobsfragrances é outro favorito que já usei horrores - já tive várias versões dele e já devo ter usado uns 4 frascos. O único defeito deste perfume é a fixação que não é das melhores, mas o cheirinho é incrível.
Qual perfume é seu favorito? 

Garotas Modernas - 11 anos de Blog!

Foto da talentosa Amanda Martendal feita na @casadechamayrapauli 
para a @lazervestevoce em 2018


Hoje o Garotas Modernas faz 11 anos e quero agradecer cada uma das queridas leitoras que me acompanham no Blog ou nas redes sociais. 
Sou muito grata por tudo que aprendi e vivi, por todas as pessoas bacanas que conheci e experiências que tive por causa do GM. 
São mais de 8 mil posts aqui no Blog Garotas Modernas, mais de 4 mil e 500 publicações no Instagram e mais de 6 mil postagens no Facebook.
Às vezes me pergunto se não estaria na hora de fechar o blog por causa das mudanças 
que aconteceram nos últimos anos, onde se tem valorizado mais um feed organizado e fotos esteticamente bonitas do que propriamente o conteúdo, mas as mensagens que recebo de vocês, os abraços que ganho quando de vez em quando encontro uma leitora na rua e a oportunidade de me expressar através do GM, seja no blog ou redes sociais me fazem continuar.
O carinho de vocês é incrível e enche meu coração de coisas boas. Muito obrigada, querida leitora! 

Transtorno de Estresse Pós Traumático



Quase todo mundo já vivenciou algo traumático (ou provavelmente vai passar por isso) - alguns destes traumas podem ser superados em dias ou semanas e outros são capazes de deixar cicatrizes para a vida toda. 
A palavra trauma vem do grega τραῦμα que significa “ferida”, e em Psicologia se trata de um acontecimento externo que causa grande medo, desespero e/ou impotência e que tem grande repercussão em nível interno, atingindo o funcionamento psíquico.
Alguns eventos são potencialmente mais traumáticos, tais como: morte (especialmente se inesperada ou violenta), doença ou ferimento grave, abuso sexual, violência (incluindo guerras e violência urbana), acidentes graves e desastres naturais.
Situações de maus-tratos, abandono ou negligência, abuso físico, psicóloga ou sexual são alguns dos fatores estressores traumáticos comuns na infância e estão associados à prejuízos psicológicos na vida adulta, incluindo ansiedade, depressão e dependência de álcool e drogas.
Existem alguns fatores complicadores para a recuperação psicológica depois de um grande trauma, entre eles: idade, intensidade e o tempo de duração da experiência traumática, sensação de impotência percebida pela pessoa, o significado que essa experiência teve para o indivíduo e os sentimentos que o evento provocou (medo, pavor, raiva, angústia, nojo, vergonha).
Entre os transtornos mentais provocados por traumas psicológicos o mais relevante é o TEPT - Transtorno de Estresse Pós Traumático, um tipo de transtorno de ansiedade caracterizado por:
- Sintomas intrusivos (a memória do trauma invade os pensamentos de maneira repetida e incontrolável, são comuns os flashbacks, durante os quais elas revivem o evento traumático como se ele estivesse acontecendo novamente)
- Evitar qualquer coisa que as relembre do evento (a pessoa evita tudo que possa servir de “gatilho” que a faça lembrar do trauma)
- Efeitos negativos sobre o pensamento e o humor (ansiedade, depressão, sentimentos de baixa autoestima)
- Alterações no estado de alerta e nas reações (a pessoa parece estar sempre sobressaltada, com medo)
Para quem tem TEPT, a resposta de “lutar ou fugir” numa situação de intenso stress ou perigo nunca se desliga - a pessoa vive em constante alerta.
No TEPT os sintomas duram mais de um mês (podendo persistir por meses, anos ou mesmo décadas), sendo que o tratamento inclui psicoterapia com psicólogo ou psiquiatra e terapia medicamentosa (em geral antidepressivos) orientada por um médico psiquiatra.
Neoterapias que carecem de comprovação científica tal como a Constelação Familiar e a Terapia de Vidas Passadas NÃO devem ser aplicadas na tentativa de curar um trauma pois podem desencadear reações psicológicas potencialmente nocivas à saúde mental, como uma crise de pânico ou mesmo sintomas psicóticos.
Você não está sozinha. Procure ajuda - consulte um psicólogo.


Shirley Stamou
CRP 12/01422
Psicóloga há 24 anos, formada pela UFSC em 1995, com mestrado pela UFSC concluído em 2000. Em seu trabalho como psicoterapeuta atende crianças, adolescentes e adultos com uma abordagem humanista, em um ambiente confortável e totalmente preparado para seu bem-estar.

Emily in Paris: a nova série que lembra Sex and the City


Lily Collins está filmando uma nova série de comédia romântica ambientada em Paris, que deve agradar os fashionistas de plantão: Emily in Paris, que estreia em 2020 mas ainda não tem data de lançamento.



Com figurino assinado por Patricia Fields (responsável pelo guarda roupas incrível de Sex and the City), Emily in Paris conta a história de uma garota de Chicago que se muda pra Paris para trabalhar numa agência de Marketing de Luxo francesa.



Já quero ver!!!

Dicas de Nova York: os programas grátis mais legais - Central Park




Ir pra Nova York não é necessariamente sinônimo de gastar rios de dinheiro... 
Na verdade algumas das melhores coisas (e algumas das mais inesquecíveis) de se fazer por lá são de graça ou custam realmente pouco.
Nova York é para se conhecer com longas caminhadas e metrô, uma atração por si só. 
É curtir os milhares de programas grátis que existem por lá e experimentar a cidade, seus parques, ruas, museus, restaurantes incríveis e baratinhos (acredite, eles existem) e não ficar preso dias em lojas comprando como se o mundo fosse acabar ou em restaurantes famosinhos e nem sempre bons, muitas vezes  torrando mais que seu cartão de crédito permite. 
Quer uma dica? Vá para as ruas! 
Um dos lugares imperdíveis, para ir muitas e muitas vezes, é totalmente de graça: o Central Park! 
Quando visitar NY não deixe de ir ao imenso retângulo verde no meio da ilha de Manhattan: se o tempo estiver ameno deite num dos gramados mais legais do mundo: vale até fazer um piquenique. 
Nos meses mais frios vá observar o movimento ou patinar no Wollmans Rinque de Patinação, observe os esquilinhos fofos, as folhas coloridas (no outono)  e as pessoas de todos os lugares do mundo.